Cerca de 34 mil pessoas visualizaram nas primeiras horas, a 1ª transmissão do culto pela internet após fechamento das igrejas Cerca de 34 mil pessoas visualizaram nas primeiras horas, a 1ª transmissão do culto pela internet após fechamento das igrejas Márcio Melo

Pandemia Covid-19 muda cultura das igrejas

Escrito por  Ceifeiros web Abr 03, 2020

As igrejas brasileiras mudaram os hábitos com a chegada do novo coronavírus. O alto risco de contaminação deu início a uma série de restrições, como a proibição do aperto de mãos, abraço, beijo e, por fim, o ajuntamento de pessoas.

A princípio, foi cogitado a redução do número de pessoas dentro das igrejas e o confinamento de outras que fazem parte do grupo de risco: idosos, pessoas com antecedentes de doenças crônicas cardíacas, pulmonares, renais e imunossuprimidos como as que estão em tratamento de quimioterapia. Mas após a decisão da justiça que tornou obrigatória a suspensão do funcionamento de estabelecimentos como academias, escolas públicas ou privadas, casas noturnas, shopping centers e galerias, o fechamento das igrejas tornou-se inevitável. As lideranças optaram pela prudência. O presidente da Assembleia de Deus Ministério do Belém, Pr. José Wellington Bezerra da Costa, determinou que os quase três mil templos não abrissem até segunda ordem suas portas.

Presidente Online

Pr. José Wellington Bezerra da Costa, presidente da AD Belém, em sua casa durante o primeiro culto online após decreto do governo.

Esta mudança não aconteceu somente para os evangélicos. Uma semana antes de o governo decretar que as igrejas também poderiam oferecer risco de transmissão devido ao ajuntamento de pessoas, um padre católico na região dos Jardins em São Paulo/SP realizou a missa no calçadão e orientou os oficiais a oferecerem álcool em gel aos fiéis.

O primeiro culto sem a presença do público na igreja Assembleia de Deus Ministério do Belém em São Paulo foi no dia 22 de março. No término, o presidente, Pr. José Wellington, fez pronunciamento em sua página oficial para agradecer aos oficiais da igreja responsáveis por fazer a transmissão do culto online e aos 32 mil internautas que lhe assistiram. Assim que a programação iniciou, cerca de seis mil pessoas acompanhavam ao vivo. Após a transmissão, a página da igreja registrava mais de 34 mil visualizações.

Na parte da manhã, a equipe técnica da igreja transmitiu a aula da Escola Bíblica Dominical ministrada pelo Pr. Caramuru Afonso. No início da transmissão, o canal registrou quase três mil internautas que acompanhavam em tempo real. Quando a transmissão foi encerrada, o número de visualização havia aumentado para 15 mil.

A tecnologia está acessível a todos. Irmã Ivonete Gonçalves Rocha tem 83 anos; como faz parte do grupo de risco, acompanhou tudo por meio de seu smartphone via internet. “É melhor ter o culto assim do que não ter nada, né? Bom mesmo é a gente estar na igreja, mas já que não podemos, pior seria se não tivesse esse meio”. Ela também elogiou seu pastor após a transmissão. “O pastor André estava muito animado, e a imagem estava muito bem feita, perfeita”. Nossa irmã serve a Deus na AD em Vila Formosa, São Paulo/SP, Setor 114, liderado pelo Pr. André Custódio.

O Pr. José Wellington reuniu os pastores setoriais do Ministério do Belém na terça-feira, 17, para dar orientações relacionadas à mudança de cultura que seria implantada aos membros. O presidente lembrou-se da ocasião em que a igreja não tinha tantos templos e os crentes reuniam-se em casas para realizar os cultos. “Eu conheci as assembleias de Deus quando da construção de seus primeiros templos. E como é que a igreja existia? Nas casas dos membros. Os cultos ou aconteciam nos lares com a presença de muitos irmãos ou em família nos cultos domésticos em número menor”, afirmou.

Igreja Assembleia de Deus no mundo

Igrejas em países afetados pela Covid-19 já haviam experimentado essas mudanças primeiro. Nos Estados Unidos, quando as regras sobre isolamento não haviam se tornado rígidas, os cultos passaram dos templos para as casas, trabalho muito comum lá de acordo com o pastor Joel Freire, presidente da AD Belém americana. Chamados de Família Cristã, os cultos nas casas aconteciam com a presença de no máximo 10 pessoas. Agora, são realizados apenas pelos membros de cada família.

O Pr. Joel Freire informou sobre os procedimentos adotados para a AD Belém na Europa. “Na Europa, não se pode sequer sair as ruas; estamos dando assistência de perto aos irmãos via telefone e web. Até aqui Deus tem nos guardado e sinto que o nosso povo se sente assistido. Cremos que isso vai passar logo e seremos guardados como no Egito”, afirmou o pastor Joel.

A frente missionária da AD Belém na Espanha, que ao lado da Itália é o país europeu mais afetado pelo Coronavírus, possui seis congregações estabelecidas nas cidades de Madrid, Barcelona, Figueres, Girona, Almeria e Ocña. O Pr. Benedito André de Souza da Costa informou que ele e os demais missionários no país trabalham duro para que o Evangelho alcance os espanhóis. O número de evangélicos na Espanha é menor que 1% da população. Pr. André já nota mudanças. “Ultimamente está aumentando o número de conversões de espanhóis. Espero que esta amarga experiência que o país está passando os levem a reflexão e possamos ver uma grande colheita”.

Até que passe a ameaça invisível do Covid-19, os crentes terão de se adaptar a esse formato de culto e com a pregação via internet. Terão de se acostumar ao culto feito em casa; separados fisicamente; porém, juntos espiritualmente.

Última modificação em Sexta, 03 Abril 2020 12:49

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

  1. Popular
  2. Comentários