Os Cavaleiros do Apocalipse

Escrito por  Antonio Mardonio Jun 04, 2018

Todos os livros da Bíblia apresentam-se apenas com três tipos de linguagem: literal, os históricos; figurado, os poéticos e proféticos; e o simbólico,os escatológicos. O Apocalipse é o que concentra a maior quantidade de simbologia em toda a Escritura. Neste texto apresentamos quatro cavalos nas cores branca, vermelha, preta e amarela com seus respectivos cavaleiros,registrados no capítulo 6, versículos 02 ao 08, que atuarão de decorrer da Grande Tribulação, logo após o Arrebatamento da Igreja.

Na abertura do primeiro selo, o apóstolo João contempla o cavalo branco, símbolo da vitória demonstrada pelos imperadores romanos que retornavam da guerra e entravam triunfalmente em Roma. Seu cavaleiro conduzirá um arco na mão, uma coroa na cabeça e sairá a galope para vencer. Este personagem é o Anticristo que assumirá o governo mundial logo após o Arrebatamento da Noiva do Cordeiro. Ele será bem-sucedido em todo seu empreendimento e sujeitará todas as nações às suas ordens.

Na abertura do segundo selo, o apóstolo João contempla o cavalo vermelho, símbolo do derramamento de sangue causado pelas guerras. Seu cavaleiro receberá a incumbência de retirar a paz da Terra, a fim de que os homens se matem uns aos outros, e ser-lhe-á dada uma grande espada. Este período significa o ressurgimento do Império Romano que apenas hiberna e a qualquer momento aparecerá como o pássaro fênix, que, na mitologia egípcia, se levanta da cinza. Este governante será belicoso.

Na abertura do terceiro selo, o apóstolo João contempla o cavalo preto, símbolo da escassez de alimento na face da Terra em consequência da falta de produção agrícola causada pelo envolvimento dos homens nas guerras. Seu cavaleiro terá uma balança na mão, que significará o racionamento dos gêneros alimentícios: Uma medida de trigo por um dinheiro, o salário de um dia de trabalho; três medidas de cevada também por um dinheiro e a ordem para não danificar o azeite e o vinho, ou seja, usá-los em pequena quantidade e não jogar uma gota deles no lixo.

Na abertura do quarto selo, o apóstolo João contempla o cavalo amarelo, símbolo da mortandade que acontecerá em consequência do estrago feito pelos três cavaleiros anteriores. Sua amazona chama-se Morte e o inferno a seguirá, ou seja, serão abertas muitas valas para sepultar os que morrerão em consequência da espada, da fome, da peste e das feras da Terra. Deixará de viver, por causa da ação destes carrascos, um quarto da população mundial, ou seja, o equivalente a um bilhão e setecentos e cinquenta milhões, quando levamos em consideração os sete bilhões atuais.

No término deste período de sete anos, correspondente à Grande Tribulação, virá outro cavaleiro, conforme registra Apocalipse 19, montado em um cavalo branco, que será identificado como Rei dos reis e Senhor dos senhores, a fim de vencer o Anticristo, que causou tanta mazela na Terra. Este guerreiro vitorioso é Jesus Cristo, nosso Senhor e Salvador, que virá acompanhado por sua Igreja e seus anjos, quando lançará o Anticristo e o Falso Profeta no Lago de Fogo e prenderá Satanás por mil anos, período em que reinará a Terra com justiça e equidade.


Pr. AntonioMardonio
Editor-chefe e 1º vice-diretor dos Ceifeiros em Chamas

Última modificação em Quinta, 02 Agosto 2018 15:42

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

  1. Popular
  2. Comentários